PRA FRENTE BRASIL! Dos porões ainda há muito a ser contado! (da série: Assim se fez a história e algumas estórias a mais!)

– Noventa milhões em ação, pra frente Brasil, salve a seleção!

E assim, no auspício do regime ditatorial no ano de 1970, a junta militar que desgovernava o Brasil para longe dos direitos humanos, incitava o espírito patriótico e o orgulho do povo aproveitando o embalo e sucesso do escrete canarinho (a propósito, na delegação estava o irreverente Dada Maravilha, de habilidade bastante duvidosa, mas que só foi convocado por imposição do presidente Médici, mostrado a ingerência política na formação daquele selecionado).

Na vibração de mais um mundial de futebol, podia-se, sordidamente, endurecer os rigores do regime e a repressão política. No embalo de pra frente Brasil as ordens dadas pelo poder central aos batalhões militares eram de partir para cima com o mesmo vigor da seleção de futebol, não dando nenhuma chance para o adversário. O comando dado era para fazer marcação ferrenha e nada de jogo limpo. Ataque sistemático e organizado, com muita artilharia e boladas (melhor, “baleadas”) nos adversários. A missão era vencer, melhor derrotar o “inimigo” a qualquer custo, com todas as artimanhas inescrupulosas e faltas que nenhum jogo permite.

Nisso, aqueles que não foram computados na contagem dos 90 milhões em ação, alheios à campanha brasileira no México, sofriam os sangrentos sacrifícios nos porões da ditadura militar, piores que adversários humilhados e surrados num jogo sujo. Mas o que são alguns, num universo de mais de 90 milhões? O grito de gol e das vitórias encobria o grito de dor.

Enquanto durou o entusiasmo da Copa e, sobretudo do título, poucos se preocuparam com os perseguidos pelo regime. Depois, passada à euforia, já era tarde, muitos tinham desaparecido (desapareceram com eles) ou fugido do país (fugiram com eles); outros tantos foram torturados e morreram (morreram com eles).

Do escrete canário de 1970, que para muitos, até os dias de hoje, foi o melhor time que o futebol mundial já viu, todos tem saudades e vivas lembranças, rememoradas constantemente com as reprises dos gols, dribles e jogadas daquela equipe que tinha Péle, Tostão, Rivelino, Jairzinho, Gerson, Carlos Alberto, entre outros.

De muitos dos perseguidos políticos, torturados e de tantos outros desaparecidos e mortos pelo regime ditatorial, ainda insistem em colocá-los nos mesmos porões do esquecimento como mortos morais. Para os familiares e amigos a lembrança do tricampeonato mundial passou a ser o reavivamento de um martírio, porém a esperança invencível de que não se apague da memória coletiva este período nefasto que, para o bem da sociedade, só será superado quando a história for definitivamente passada a limpo.

Anúncios

Sobre denivalfrancisco

Meu nome é Denival Francisco da Silva. Formado em direito pela PUC-GO e mestrado em direito pela UFPE. Juiz de direito e professor universitário. Poeta e cronista, às vezes. A angústia em conviver com tantas distorções sociais, indiferenças, injustiças, ofensas aos direitos fundamentais, desprezo ao semelhante, e tantas outras formas de indignidade, exige de todo aquele que se incomoda, um lugar de fala. E que bom será se esta fala puder ressoar e se abrir mundo afora. A internet propicia isso, e os blogs têm sido ferramentas extraordinárias para a verdadeira liberdade de expressão, onde cada um coloca em discussão seus temas prediletos. Não inovarei em nada. Com toda certeza outros o fazem melhor. E não ouso afirmar que minha fala, lançada neste espaço cibernético, vá percorrer fronteiras e atrair simpatizantes. Não tenho este poder e jamais esta pretensão. Quero mais a liberdade de expressão e a consciência bastante para enxergar, mesmo no obscurantismo, para não me aquietar diante de farsas. O título do blog – sedições – enseja de início a contraposição. Não significa, porém, que haja uma necessidade simples de divergir, de contrariar, de opor. Sedições, misturando suas letras, dá também decisões que aqui se propõe invertidas ao modo que se vê correntemente. O que pretendo é, não mais, desaguar as palavras que alvoroçam em mim, em burburinhos loucos para serem ouvidos, como quem vê, pensa, reflete e necessita replicar suas críticas e percepções. Espero que os visitantes compartilhem comigo críticas e discussões sobre política, sociedade, direitos humanos, justiça e um pouco de prosa e poemas. Sejam bem-vindos! Ver todos os artigos de denivalfrancisco

2 respostas para “PRA FRENTE BRASIL! Dos porões ainda há muito a ser contado! (da série: Assim se fez a história e algumas estórias a mais!)

  • pr

    Olá! Sou sua ex-aluna, admiro muito seus trabalhos e entendimentos (e adoro suas parodias), respeito sua postura diante das tantas influências que envolve nosso sistema jurídico atual, apenas mentes novas, com o pensamento voltado a uma postura jurídica ética, inovadora e principalmente humana, podem evoluir a interpretação e aplicação de nossas leis, e com muita luta talvez, mudar a mentalidade dos legisladores e/ou de quem os elegem.
    Só soube da existência do seu blog recentemente, e gostei muito, é uma ótima maneira de disseminar, tais ideias. Não sei se tem, mas, outra forma é por twitter e facebook, muitos fazem uso para besteiras, porém, bem usado pode difundir ideias e mudar conceitos, e também uma boa forma de o Doutor se relacionar com seus alunos.

    Assinado: pr

    • denivalfrancisco

      Que bom que soube, veio e gosto. A intenção do blog é justamente criar este canal de fala crítico. Seja bem vinda. Fique a vontade para replicar textos e divulgue o blog, se também entender que possa ser interessante para outras pessoas.
      Abços.
      Denival