INDIFERENÇA HUMANA (ou puro gesto de indignidade)

Mote:

Declaração Universal dos Direitos Humanos: Artigo I
Todas as pessoas nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotadas de razão e consciência e devem agir em relação umas às outras com espírito de fraternidade.

INDIFERENÇA HUMANA
(ou puro gesto de indignidade)

Hoje vi uma carroça
que seguia carregadamente
com seu peso imenso de papéis,
latas, plásticos, madeira, e tudo
que se joga no lixo.

A carroça, vista pela traseira,
ocultava o animal que a tracionava,
embora fosse claro o sofrimento
no seu puxar, pelas passadas
lentas e pesadas que a fazia
mover-se vagarosamente.

E o trânsito fluía lentamente
com os veículos e seus condutores
impacientes acionando a buzina,
enquanto a carroça seguia
seu curso puxada por um homem:
cabeça-baixa, sol a pino,
já acostumado com o calor do dia
e a frieza das pessoas indiferentes
a sua miséria e completamente
alheias a indignidade de um semelhante.

Anúncios

Sobre denivalfrancisco

Meu nome é Denival Francisco da Silva. Formado em direito pela PUC-GO e mestrado em direito pela UFPE. Juiz de direito e professor universitário. Poeta e cronista, às vezes. A angústia em conviver com tantas distorções sociais, indiferenças, injustiças, ofensas aos direitos fundamentais, desprezo ao semelhante, e tantas outras formas de indignidade, exige de todo aquele que se incomoda, um lugar de fala. E que bom será se esta fala puder ressoar e se abrir mundo afora. A internet propicia isso, e os blogs têm sido ferramentas extraordinárias para a verdadeira liberdade de expressão, onde cada um coloca em discussão seus temas prediletos. Não inovarei em nada. Com toda certeza outros o fazem melhor. E não ouso afirmar que minha fala, lançada neste espaço cibernético, vá percorrer fronteiras e atrair simpatizantes. Não tenho este poder e jamais esta pretensão. Quero mais a liberdade de expressão e a consciência bastante para enxergar, mesmo no obscurantismo, para não me aquietar diante de farsas. O título do blog – sedições – enseja de início a contraposição. Não significa, porém, que haja uma necessidade simples de divergir, de contrariar, de opor. Sedições, misturando suas letras, dá também decisões que aqui se propõe invertidas ao modo que se vê correntemente. O que pretendo é, não mais, desaguar as palavras que alvoroçam em mim, em burburinhos loucos para serem ouvidos, como quem vê, pensa, reflete e necessita replicar suas críticas e percepções. Espero que os visitantes compartilhem comigo críticas e discussões sobre política, sociedade, direitos humanos, justiça e um pouco de prosa e poemas. Sejam bem-vindos! Ver todos os artigos de denivalfrancisco

Uma resposta para “INDIFERENÇA HUMANA (ou puro gesto de indignidade)

  • vgregory

    Grande Denival!

    Interessante pensamento este seu. Acredito que sejam ambos, indignidade e indiferença. Possivelmente mais indignidade que indiferença. =/

    Enfim, criei um blog na esperança de aprender a usar este esquema também. Se tu tiver interesse em acompanhar: http://vgregory.wordpress.com

    Abraço!